DIGA NÃO À ANSIEDADE! | Miss. Margaridinha

Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes?” (Mateus 6.25 - ALMEIDA-Edição Revista e Atualizada).


Desde a antiguidade, a ansiedade é um grande mal para o homem. É assunto que sempre acompanha o homem desde sua queda no Edem. Ocupamos a nossa mente com o sustento, a saúde e as outras necessidades.

Jesus chamou um grupo de Doze homens para segui-lO. Eles estavam sujeitos às mesmas ansiedades materiais de todos os homens: Pedro tinha uma empresa de pesca; Simão, o zelote, era radical de esquerda; Mateus era coletor de impostos; André era pescador e cuidou das relações públicas do grupo; Zaqueu era chefe na fiscalização de impostos; Lucas era médico. Zaqueu e Lucas não eram do grupo dos Doze, mas foram alcançados por Jesus.

Assim como nós, todos esses homens correram o risco de cair na ansiedade pelos bens materiais, na preocupação com o sustento e com a saúde e de seus familiares. Precisamos aprender a controlar nossa ansiedade.

O texto de Mateus 6.19 a 34 nos indica oito razões que nos ajudam a dizer NÃO À ANSIEDADE:

1ª) Porque os bens materiais podem ser roubados ou deteriorados (v.19-21);

2ª) Porque os bens materiais podem poluir a vida com a cobiça (v. 22-23). Os olhos são a lâmpada do nosso corpo. Aquilo que prende à atenção de nossos olhos indica o tipo de caráter que temos. Pode determinar o grau de nossa ligação com o céu ou com os valores materiais: “Não se mate de trabalhar tentando ficar rico, nem pense demais nisso. Pois o seu dinheiro pode sumir de repente, como se tivesse criado asas e voado para longe como uma águia.” (Pv 23.4 e 5).

3ª) Porque os bens materiais exigem do homem uma dedicação comparada à servidão, quando o coloca diante destas opções: Deus ou as riquezas (v24). A ansiedade é sentimento daqueles que são escravos dos bens materiais.

4ª) Porque uma das estratégias de Satanás é fazer o homem lutar por coisas que não são as necessidades básicas para a vida (v25);