IEVY | IGREJA EVANGÉLICA DE VILA YARA

R. Benedito Américo de Oliveira, 36

Vila Yara, Osasco - SP - CEP 06028-080

CNPJ: 47.357.454/0001-88

REDES SOCIAIS

NOSSOS CULTOS:​

Quinta-feira - 20h
Domingo - 10h30 / 19h

CONTATO

contato@ievy.org.br


Tel: (11) 3682-1484

DEIXE SUA MENSAGEM

2019 | IEVY | IGREJA EVANGÉLICA DE VILA YARA

IEVY
UMA IGREJA DE MÃOS DADAS
E CORAÇÕES UNIDOS!

JESUS – JAMAIS ESQUEÇA SEU ÚNICO SALVADOR

Pb. Welington

Mensagem do dia 12/01/2020

Texto base:  Lucas 24.13 a 35 – v.29

O objetivo desta Pastoral é trazer para reflexão de todos a importância de depositarmos nossa fé no lugar certo: única e exclusivamente em JESUS. O texto base desta mensagem fala do episódio conhecido como “O Encontro na Estrada de Emaús” ocorrido dias após a crucificação de Cristo, quando dois de Seus discípulos deixam Jerusalém rumo ao povoado de Emaús, distante cerca de 30 km.

Enquanto caminhavam, eles falavam a respeito dos últimos acontecimentos: Jerusalém estava em grande alvoroço, pois durante os dias das festividades da Páscoa Judaica, época em que judeus do mundo todo se concentravam em Jerusalém para celebrações, Jesus de Nazaré havia sido morto na véspera do início da festa.

As decisões as autoridades locais - políticas e religiosas - da corte romana e judaica haviam condenado um inocente à morte. Jesus havia sido traído e submetido a julgamentos secretos, armações e negociatas políticas. Foi apresentado ao Sinédrio que O condenou primeiro, mas não podia matá-lo. Na sequência, foi levado ao governador Pilatos, que optou por delegar a Herodes; e este, preferindo não comprometer sua imagem, devolve Jesus a Pilatos que O inocenta, mas não sustenta sua decisão barganhando com os judeus e culminando com a libertação de Barrabás, um assassino condenado, e o espancamento, zombaria e morte de Jesus na Cruz no Calvário.

Diante desses fatos, aqueles homens decidem partir: frustrados, preocupados, entristecidos (v.17). Estavam abatidos e sem esperança. E por quê?  Porque acreditavam que Jesus seria o responsável por “redimir Israel” (v.21) como um líder político ou guerreiro conquistando Roma, tomando o trono de César, trazendo a glória dos dias de Davi de volta com prosperidade e estabilidade econômica para seu povo.

Tendo depositado sua fé no aqui e no agora, a morte de Jesus frustra seus sonhos e, decepcionados, partem de volta para sua cidade. Tamanho foi seu desapontamento, que o próprio Jesus ressurreto lhes aparece na estrada, mas eles não O reconhecem até o momento em que Ele mesmo, os exortando, ensina o Evangelho e se releva a eles.

Atualmente, boa parte da igreja brasileira se encontra como esses dois viajantes da estrada de Emaús: caminhando frustrada, triste e sem esperança e pelos mesmos motivos: tem depositado sua fé e esperança no lugar errado.

Refletindo sobre nossos dias, relembramos como terminou o ano de 2018: a sociedade brasileira dividida em função das eleições daquele ano. Tamanha divisão se estendeu às famílias, que chegaram a romper relações, iniciaram conflitos, abandonaram grupos de Whatsapp e que influenciou até mesmo as festividades de Natal e Ano Novo daquele ano. Tudo por conta de divergências políticas.

O ano de 2019 começou sob a sombra dessa divisão, que teve seus reflexos também no meio da igreja: discussões em redes sociais, discursos cheios de ódio direcionados ao grupo com opinião oposta, amizades desfeitas, relações familiares estremecidas. Pessoas abandonando as verdades das Escrituras pelo discurso partidário ou ideológico com o qual se identificaram, defendendo seu lado político de preferência com “unhas e dentes”. Alguns o fazendo de forma idólatra, DEPOSITANDO SUA FÉ EM HOMENS.

Um “parênteses” se faz necessário: esta mensagem não tem por objetivo ser uma pregação política.

O púlpito é local apenas da Palavra de Deus. Tampouco para cercear sua liberdade:

todo cidadão brasileiro tem seus direitos de liberdade de expressão e crença garantidos pela Constituição. Mas os cristãos possuem princípios dados por Deus os quais necessitam ser relembrados.

Esta mensagem fala da espiritualidade da igreja que tem depositado sua fé e esperança em homens e não no Senhor Jesus; a igreja que não está conseguindo ver além das circunstâncias.

  1. O REINO DE DEUS NÃO É DESTE MUNDO

Nenhum partido político, ideologia, filosofia ou pessoa, mesmo que bem-intencionada, tem condições de representar os valores do Reino de Deus. Quem tem essa missão é a IGREJA. E seu papel não é mudar o mundo por meio da política, mas sim pela pregação do Evangelho de Jesus. E isso se dará por meio do amor e do testemunho a respeito de Jesus. Como Paulo afirmou: "Porque as armas da nossa milícia não são carnais..." 2Co 10.4 – Ódio, revolta, textos enormes no Facebook não têm nenhum efeito.

     2. É LEGÍTIMO SE PREOCUPAR

É legítimo que cada um de nós se preocupe com temas como a economia, a geração de empregos, a educação, a segurança, a violência, a saúde. Mas, ainda assim, nosso tesouro não está neste mundo.

A Igreja tem de se colocar de joelhos, orar e jejuar para que Deus tenha misericórdia do nosso País e para que Deus ilumine nossos governantes. Deve se posicionar diante de temas relevantes e dar o bom exemplo. Mas sua fé deve estar sempre firmada em Deus e não no mundo visível.

Aqueles que depositam sua esperança em um mundo melhor produzido pelos esforços humanos, em estabilidade econômica e paz criada por políticos, corre o risco de se ver de joelhos diante do Anticristo, pois tais prerrogativas são creditadas a ele.

     3. A IGREJA PRECISA VER ALÉM DAS CIRCUSTÂNCIAS

Assim como no episódio relatado em 2Rs 6.13 envolvendo o exército do reino da Síria e a perseguição ao profeta Eliseu, em dado momento quando Geazi, seu ajudante, está sem esperanças diante do cerco, Eliseu ora para que Deus tire as vendas dos olhos dele para que “veja” a proteção divina. E então, ele vê ao seu redor carros de guerra e cavalos de fogo em maior quantidade do que o exército que os amedrontava. Nós, a Igreja, precisamos ver e agir crendo no impossível e agir pelo espiritual, vendo além das circunstâncias. 

Ficar ao lado dos oprimidos não é uma questão de posicionamento político. O próprio Jesus foi uma voz em favor da justiça social. Ele disse que a vida das crianças era importante, Ele tratava as mulheres com dignidade mesmo em uma época onde elas não tinham voz. Ele protegeu e acolheu os afligidos e marginalizados. E ainda assim, Ele ensinou que a Graça vem primeiro e depois a Justiça. Isso significa que é importante que primeiro conheçam o Evangelho e sejam salvos pela Graça, missão que é da igreja.

Nenhum homem pode falar e ensinar como Jesus. Seu reino não é daqui: confie na verdade, ame seu próximo, ame a Deus, seja Luz no mundo, trate os outros como gostaria de ser tratado, seja bem-aventurado, perdoe... São algumas de Suas Palavras. Nunca se esqueça disso. Nós só temos um SALVADOR, e seu nome é JESUS.

Que Deus assim nos abençoe.

Pb. Wellington Farias

NOTA: Mensagem pregada na IEVY no culto da manhã de 12.1.20.

SEMINÁRIO DE FINANÇAS

COMO LIDAR

EFICAZMENTE

COM O DINHEIRO

MISSÃO E VISÃO

"Existimos como IEVY porque Deus nos salvou para vivermos na plenitude de Sua Palavra, visando a edificação, a comunhão e a evangelização dos perdidos em qualquer parte do mundo".

 

LOJA IEVY

DEIXE SUA OFERTA

Nós acreditamos que as ofertas são uma forma direta de adoração a Deus.

Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria. 2 Coríntios 9:7

PODCAST IEVY

Aqui você encontra devocionais

curtas e impactantes.