top of page
  • IEVY

A GRANDE DECISÃO

“Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor". (Josué 24.15)


No verso acimar, Josué tomou uma decisão, se posicionou e renovou seus votos para com Deus diante de todo o povo de Israel. A expressão marcante do texto é a afirmação de Josué: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”.


O significado de “Eu e Minha Casa Serviremos ao Senhor” é uma declaração que expressa seu compromisso com Deus. O interessante é que Josué incluiu a família no compromisso “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Isso remete-nos a pensar em Noé. Ele e a família serviram a Deus juntos no projeto da Arca. Deus falou com Noé, mas Noé incluiu a família. A família é uma das armas mais potentes de Deus. O povo de Israel está estruturado em tribos, ou Famílias.


É possível ver claramente Deus se movendo na história através de famílias. O contexto de Josué é patriarcal. A decisão do patriarca influenciava toda a família. O nosso contexto não é patriarcal como era nos dias de Josué, mas podemos influenciar toda a nossa família, mas a decisão precisa vir acompanhada de posicionamento. Não basta decidir, é preciso se posicionar “Porque palavras convencem, mas o exemplo arrasta”. Quando Josué disse “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”, Josué já era um homem experiente, já havia peregrinado durante muitos anos pelo deserto. Foi auxiliar de Moisés e depois assumiu a liderança do povo de Israel na conquista da terra prometida.


Não estou dizendo que você precisa obrigar a sua família servir ao Senhor. Não precisa e não pode obrigar, mas pode dizer: “No que depender de mim, eu e minha casa serviremos ao Senhor”. O que não podemos é nos conformar com uma casa dividida. Às vezes não queremos nos posicionar com medo de machucar, mas a falta de posicionamento também machuca.


No início do capítulo 24, o texto diz que Josué reuniu todas as tribos de Israel. Convocou as autoridades, os líderes, os juízes e os oficiais de Israel, e eles compareceram diante de Deus. Isso é importante. A convocação de Josué foi para o povo se apresentar diante de Deus. Josué disse a todo o povo: "Assim diz o Senhor, o Deus de Israel”. O discurso começou com um resumo da história redentora de Israel. Josué falou de tudo o que Deus fez desde Terá, pai de Abraão e de Naor, falou sobre o chamado de Abraão tirando-o de um povo pagão e idólatra até a chegada na terra prometida. Nesse discurso Josué enfatizou a libertação da escravidão do Egito, a proteção e provisão divina durante toda a peregrinação no deserto.

Josué disse para o povo: olhem para trás e vejam tudo o que o Senhor nosso Deus fez por nós. Josué estava indignado porque, depois de tudo o que Deus fez, eles estavam adorando a outros deuses. Josué exortou o povo: “Joguem fora os deuses que os seus antepassados adoraram e sirvam ao Senhor.”


Josué estava exortando a uma geração que estava vivendo a promessa. Eles estavam na terra que eles não cultivaram e cidades que eles não construíram. Nelas eles moraram, comeram de vinhas e olivais que não plantaram. O discurso de Josué foi para que o povo de Israel decidisse a quem eles serviriam. Deus não aceitaria uma adoração dividida, um serviço parcial. No final do discurso, Josué cobrou um posicionamento do povo:

“escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor". V.15


Servir ao Senhor significa amá-lo de todo coração; significa adorá-lo com exclusividade; significa temê-lo e obedecê-lo acima de tudo e de todos; significa uma dedicação completa à sua vontade.

Nos dias de Josué o povo estava servindo a outros deuses. Nos nossos dias nos tornamos os nossos próprios deuses e servimos as nossas vontades; servimos a Deus de forma parcial. Estamos sempre divididos entre a nossa vontade e a vontade dEle.


Houve um tempo que o povo procurava uma igreja para servir a Deus. Nos nossos dias procura-se uma igreja para ser servido. Hoje queremos satisfazer as nossas vontades; queremos igreja com boa iluminação, ar-condicionado, cadeiras estofadas, salinhas para os filhos, bons equipamentos de som, um louvor top, um bom programa de atividades. Thiago, você é contra tudo isso? Claro que não, tudo isso é muito bom, mas o nosso coração não pode estar nessas coisas. Eu preciso viver IGREJA na perspectiva de quem serve e não de quem quer ser servido.


Entendam: A exortação de Deus é uma expressão de amor; Deus está me corrigindo porque Ele me ama. Eu Thiago Passos, quero pedir perdão a Deus por todas as vezes que eu quis ser servido. Hoje eu quero renovar os meus votos com Deus, como aquele que serve. O próprio Jesus disse: “Eu vim a esse mundo para servir” (Mt 20.28). Um cristão que não serve não é um cristão. Paulo escreveu aos Efésios 2.8-10 que nós não fomos salvos pelas obras, mas fomos salvos pela Graça em Cristo Jesus para as obras. Eu fui chamado para servir.

Assim como Josué convocou o povo diante de Deus a decidir a quem serviria, nós também precisamos decidir hoje a quem serviremos em 2022: a nós mesmos ou a Deus. A nossa decisão norteara para onde caminharemos em 2022. O povo de Israel respondeu à exortação de Josué de forma positiva (V. 16) "Longe de nós abandonar o Senhor para servir outros deuses!”. É exatamente isso que Deus espera de nós. A nossa decisão precisa acontecer em três níveis: decidir de forma individual, com a família e como comunidade, a família na fé. A nossa oração é: Deus livra-me da vontade de ser servido e enche-me de disposição para servir.

Em 2022 no que depender de mim “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”.

Graça e paz da parte de Cristo.

Ev. Thiago Passos

209 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Yorumlar


bottom of page