• IEVY

A GRANDE DECISÃO

“Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor". (Josué 24.15)


No verso acimar, Josué tomou uma decisão, se posicionou e renovou seus votos para com Deus diante de todo o povo de Israel. A expressão marcante do texto é a afirmação de Josué: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”.


O significado de “Eu e Minha Casa Serviremos ao Senhor” é uma declaração que expressa seu compromisso com Deus. O interessante é que Josué incluiu a família no compromisso “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Isso remete-nos a pensar em Noé. Ele e a família serviram a Deus juntos no projeto da Arca. Deus falou com Noé, mas Noé incluiu a família. A família é uma das armas mais potentes de Deus. O povo de Israel está estruturado em tribos, ou Famílias.


É possível ver claramente Deus se movendo na história através de famílias. O contexto de Josué é patriarcal. A decisão do patriarca influenciava toda a família. O nosso contexto não é patriarcal como era nos dias de Josué, mas podemos influenciar toda a nossa família, mas a decisão precisa vir acompanhada de posicionamento. Não basta decidir, é preciso se posicionar “Porque palavras convencem, mas o exemplo arrasta”. Quando Josué disse “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”, Josué já era um homem experiente, já havia peregrinado durante muitos anos pelo deserto. Foi auxiliar de Moisés e depois assumiu a liderança do povo de Israel na conquista da terra prometida.


Não estou dizendo que você precisa obrigar a sua família servir ao Senhor. Não precisa e não pode obrigar, mas pode dizer: “No que depender de mim, eu e minha casa serviremos ao Senhor”. O que não podemos é nos conformar com uma casa dividida. Às vezes não queremos nos posicionar com medo de machucar, mas a falta de posicionamento também machuca.