• IEVY

CUIDADO COM SUA VINHA | Pr. Elbem Sardinha

e me puseram por guarda de vinhas; a vinha que me pertence não guardei”. Ct 1.6


Na Bíblia há muitas referências sobre VINHA. Vinha é o conjunto de videiras; estas produzem uvas. Vinhas são usadas como simbologia importante na Bíblia. Lendo o Antigo Testamento, percebemos que a viticultura era uma das culturas mais antigas da agricultura. Em Gn 9.20 e 21, há o relato de Noé, que cultivou uma vinha. Vinha é símbolo de fertilidade, de prazer e de bem estar. O produto da videira é a uva com a qual se faz o vinho. Beber com exagero pode embriagar. A embriagues é condenada pela palavra de Deus. A vinha é símbolo do povo de Deus, a Igreja, conforme Is 5.1 e 2. A videira era atividade agrícola muito importante da economia de Israel, mostrada claramente no Antigo Testamento. Vinha e videiras são encontradas nas parábolas de Jesus em Lc 13.6-9, Mt 20.1-16 e Mt 21.28-32. O ensino de Jesus mais claro sobre a videira está em Jo 15.1 a 11. Jesus se diz ser a Videira verdadeira e o Pai é o agricultor. Nós, a Igreja, somos os ramos, que devemos estar ligados à videira, Jesus, para frutificarmos.

Em Is 5.1 e 2 diz sobre cuidados com a videira: “Agora, cantarei ao meu amado o cântico do meu amado a respeito de sua vinha. O meu amado teve uma vinha em um outeiro fertilíssimo. Limpou-a das pedras, e a plantou de vides escolhidas; edificou no meio dela uma torre, e também abriu um lagar. Ele esperava que desse uvas boas, mas deu uvas bravas.”.Aprendemos aqui que a vinha precisa estar plantada em terreno fértil, possuir galhos produtivos; o lagar de prensar os frutos, a cerca de proteção e finalmente a torre de vigilância. A cerca e a torre fazem parte da proteção da vinha contra ladrões e ou de animais. Agora temos pequena noção de como se cultiva uma vinha. A vinha tem conotação espiritual. No Antigo Testamento, videira era comparada a Israel. No Novo Testamento, Jesus é a Videira e nós somos os ramos. Tanto no ensino de Cantares como no Evangelho de João, encontramos a necessidade de cuidar bem da videira. Como ramos, precisamos estar ligados em Jesus. O texto de Cantares fala de alguém que não cuidou da própria videira: “... e me puseram por guarda de vinhas; a vinha que me pertence não guardei”. O texto fala de uma pessoa que deixou a própria vinha abandonada e sem cuidados. Alguém pediu a certa pessoa que guardasse sua vinha; mas essa certa pessoa negligenciou a própria. Como ramos, na videira do Senhor, há áreas em nossas vidas que precisam ser bem guardadas, protegidas, vigiadas. Espiritualmente falando, há áreas vulneráveis em nossa vida que precisam ser bem protegidas. Em 1 Pe 5.8 diz: “Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar”. Entre as muitas áreas que precisam ser protegidas, cito pelo menos três: o coração; quem somos em Jesus; nossa família.

Ao me referir ao coração, falo do centro dos sentimentos e das emoções. Em Pv. 4.23, lemos que o coração é uma das áreas que exerce influência estratégica na defesa da alma. Ele tem o papel protetor das fontes de nossa vida. Em Pv 4.23, lemos: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes de vida”. Jesus também falou, simbolicamente, do coração, quando contou a parábola do Semeador. Ele comparou o solo ao coração humano. Ali vemos a importância que o coração tem; por isso, é área a ser protegida, vigiada, guardada. É um dos principais pontos para o exercício de nossa espiritualidade.