• IEVY

DEUS QUER RESTAURAR NOSSA VIDA COM ELE | Pr. Elbem Sardinha

Esaú correu ao encontro de Jacó e o abraçou; pôs os braços em volta do pescoço do irmão e o beijou. E os dois choraram” (Gênesis 33.4).

Você sabe a diferença entre reforma e restauração? O dicionário diz que reforma é quando há mudança e transformação em um objeto. Restauração é refazer o objeto sem mudar a estrutura, podendo aperfeiçoa-lo.

Deus fez o homem santo. Com a entrada do pecado na vida do primeiro casal, houve a separação do homem e Deus. Aceitando o sacrifício remidor de Jesus na cruz por nós, temos a vida espiritual restaurada. A salvação é somente por meio de Jesus. É ato único, completo e final. A santificação é progressiva. É um processo intermitente. É a restauração diária que o Espírito Santo faz em nós. Restaurar não significa deixar perfeito, mas sim agregar valor em algo que, por algum motivo, perdera esse valor. O Espírito Santo que habita em nós faz esse trabalho de nos restaurar diariamente. Temos diversos tipos de marcas em nosso corpo. Há marcas visíveis ou cicatrizes que podem ser vistas a olho nu. Um corte na pele, rugas, os cabelos brancos e tantas outras que podemos identificar. Existem marcas ou cicatrizes emocionais, que são dores na alma. Estas não podem ser perceptíveis a olho nu. Estas marcas muitas vezes são profundas. São causadas por diversos motivos, a saber: abandono, traição em todos os sentidos, ser molestado ou molestada, calúnia, mentira, fofoca o outras mais que, de alguma forma, nos machucam. Deus quer nos restaurar de todas essas marcas e nos dar uma vida abençoada.

Nestes dias, estava lendo sobre uma técnica japonesa de restauração. Vi muita semelhança nela e na ação de Deus sobre nossas vidas. Esta técnica se chama Kintsugi. Pode ser traduzida como “emenda de ouro” ou “reparo com ouro”. Na cultura japonesa, a técnica é utilizada para reparar peças de cerâmica ou porcelana com o uso de uma laca especial e ouro, platina ou prata. Assim, as partes quebradas ou desgastadas, ao serem coladas umas junto às outras, ganham um novo visual, destacando em uma beleza inédita. A peça quebrada ou desgastada era colada com a laca no local da emenda e era aplicado o pó de ouro, misturado com a laca. Nesta técnica não se esconde a emenda, mas a realçava com o ouro. O Kintsugi, além de restaurar a peça, impede o seu descarte. Ela propõe um novo significado à peça, transformando-a em algo belo e aceito, com todas as suas imperfeições. A peça além de se tornar valiosa pelo ouro e passa a ser única. Torna-se uma obra de arte. Não há reproduções. Deus faz isso conosco. Ele não nos descarta. Não nos joga fora. Ele restaura a nossa vida. Somos únicos para Ele. Somos a “menina dos olhos do Senhor”. É assim que Deus vê o seu povo. É assim que Deus vê você. Ao invés de a laca e o pó de ouro, Deus usa o sangue de Jesus para restaurar sua vida. Ele trabalha as nossas imperfeições. Não as esconde. Ele nos faz dia a dia à semelhança de Seu filho, Jesus Cristo.

A base desta Pastoral é a respeito da hi