top of page
  • IEVY

EXISTE LUGAR PARA JESUS, HOJE?

e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria”. (Lucas 2.7)


Mesmo em meio a pandemia com as normas de afastamento social, estamos vivendo uma época de luzes, cores e preparo para as festividades de Natal e passagem de ano. As lojas, os shoppings, as ruas estão cheias de pessoas apressadas, olhando e buscando alguma coisa para comprar, que lhes satisfaça.


Não há nenhum problema você buscar coisas para comprar para você ou para dar de presente a alguém. Mas o significado maior do Natal é o encontro do maior presente que uma pessoa pode receber, o encontro com Jesus Cristo.


A celebração do Natal significa o nascimento de Jesus Cristo. É encontro com Jesus que se fez sacrifício na Cruz. É o desfrutar da vida abundante e eterna. O Natal é época especial, que pode ser vista de dois modos: o Natal comercial e o verdadeiro Natal. Neste, o foco está na pessoa de Jesus e em toda a Sua história de redenção da humanidade perdida.


Mesmo os profetas tendo anunciado a vinda de Jesus havia mais de mil anos antes de seu nascimento, e Deus ter preparado tudo para esta chegada, uma coisa é certa, a humanidade não tinha nada preparado para recebê-Lo. Não havia lugar para abriga-Lo.


O Evangelista Lucas diz que não havia lugar para receber o casal José e Maria na hospedaria. Em Lc 2.7b, lemosMaria deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria”.

Vejamos alguns lugares por onde Jesus passou antes do seu nascimento.


Por causa do decreto publicado pelo imperador romano, César Augusto, para o censo de toda a população do Império, as cidades estavam muito cheias. Cada um devia se apresentar na sua cidade natal para o censo. José era de Belem da Judeia. Todos os lugares de hospedagem estavam lotados. Não havia lugar para o casal Jose e Maria, que estava grávida; e Jesus prestes a nascer. A resposta era sempre a mesma: Não temos lugar. A hospedaria está lotada. Tudo ocupado.


As hospedarias daquela época eram como as pousadas ou os hotéis de nossos dias. As pessoas alugavam quartos e ali tambem faziam suas refeições. Ali não havia mais lugar. Não havia vaga disponível. Não havia um quarto vazio.


Por não ter lugar na hospedaria, o lugar improvisado que o casal encontrou para se abrigar foi uma estrebaria, ou curral, nos arredores da cidade de Belém. A estrebaria é lugar rude e simples. Quase sempre seu cheiro não é agradável. É curral para abrigo e cuidado de animais, principalmente no inverno.


A Bíblia não relata como chegaram lá, ou de quem era a estrebaria. Uma vez na estrebaria, ali Jesus nasceu e foi deitado numa simples manjedoura ou cocho. A manjedoura era feita de madeira, lugar onde se colocavam o capim e a palha para os animais. A manjedoura serviu de bercinho para abrigar e acolher Jesus, o Rei dos reis, Senhor dos senhores!


O evangelista Lucas registrou em seu evangelho que “Maria deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria(Lc 2.7).


Parece que isto foge do raciocínio lógico de nosso entendimento. Como pode o Rei dos reis, o Senhor dos senhores, o Filho de Deus, o Deus encarnado, o Emanuel, o Salvador nascendo num curral e colocado num cocho?! Jesus nasceu na estrebaria ou curral (maternidade) e deitado na manjedoura ou cocho (berço) porque não havia lugar nahospedaria (pousada). Jesus não foi desejado. Não havia lugar para recebê-Lo e acolhe-Lo.


Em muitos corações tem sido assim também. Não há lugar para receber Jesus. Em nosso contexto, muitas vezes também não há lugar para Jesus: nas famílias, nas escolas, na sociedade, no mundo corporativo, no mundo político, no mundo acadêmico. Em tantos outros lugares a resposta é a mesma: não há lugar! Naquela época, tudo o que o mundo deu ao Salvador foi uma estrebaria (curral), uma manjedoura (cocho) como berço, uma cruz para morrer, e um túmulo emprestado para receber Seu corpo sem vida.

Além de Jesus não ter encontrado um lugar dentre os convencionais, a sua chegada também não foi bem aceita. Vejamos dois exemplos.

a) Para o rei Herodes e para a cidade de Jerusalém, Jesus era um monarca rival: E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém, dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo. O rei Herodes ouvindo isto perturbou-se, e toda Jerusalém com ele”. (Mt 2.1-3)

b) Para os sacerdotes e escribas, Jesus não era bem-vindo. Eles sabiam que o Messias viria. Eles sabiam tudo sobre ele. Mas eles o rejeitaram: “e reunindo todos os principais sacerdotes e os escribas do povo, perguntava-lhes onde havia de nascer o Cristo. Eles lhe disseram: Em Belém da Judéia; pois assim está escrito pelo profeta: E tu Belém, terra de Judá, não és de modo algum o menor entre os lugares principais de Judá; Porque de ti sairá um condutor, que há de pastorear meu povo de Israel” (Mt 3. 4 a 6).


Mas Jesus foi aceito pelos sábios do Oriente, os “reis” magos. Em Mt 3.11, lemos: “E, entrando na casa, acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro, incenso e mirra.”. Isto aconteceu cerca de dois anos após seu nascimento.


Estamos novamente nos dias deNatal. Que tipo de celebração do Natal teremos? O Natal das visitas e viagens? O Natal das luzes e pisca-pisca? O Natal das cantatas e musicais? O Natal dos presentes? O Natal dos comes-e-bebes? Podemos desfrutar de tudo isso, mas nosso foco deve ser Natal de gratidão a Deus pela dádiva de Jesus à humanidade para nos salvar. Presente de Deus o fato de Jesus nascer, viver, ensinar, dar exemplos, morrer e ressuscitar para nos dar a vida eterna e abundante nEle. Eu lhe pergunto: Jesus tem lugar em sua vida? Qual é o lugar que Ele tem ocupado.


Que você possa desfrutar da benção da comunhão entre familiares, parentes e amigos nesta data tão propícia para isso. Convide o ilustre aniversariante para estar em suas celebrações” Jesus não pode ser esquecido ou deixado para fora de suas comemorações.

Deus nos abençoe.

Feliz ano todo de 2022!

No amor do Mestre.


Pr. Elbem Sardinha


NOTA: Mensagem pregada no domingo, 19.12.21, no culto da manhã, na IEVY.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page