top of page

O ISOLAMENTO SOCIAL E A CAMINHADA COM JESUS

"O que você quer que eu lhe faça?”, perguntou-lhe Jesus. O cego respondeu: "Mestre, eu quero ver!". "Vá", disse Jesus, "a sua fé o curou". Imediatamente “ele recuperou a visão e seguia a Jesus pelo caminho.”.

Marcos 10.46 a 52:


O propósito desta Pastoral é mostrar que o isolamento social nesta pandemia está servindo para abrir os nossos olhos espirituais para o comodismo e o conformismo, e nos dispormos a seguir e servir a Jesus com dedicação, fé e amor. Este acontecimento real é narrado em três dos quatro Evangelhos sinóticos: Em Mt 20.29 a 34, menciona dois cegos, sem nomes, clamando pela cura: “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de nós!”. Neste clamor, afirmam o caráter messiânico de Jesus: “Filho de Davi!”. Em Lc 18.35 a 43, menciona “um homem cego”, sem nome, sozinho: "Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim!". Aqui também o cego afirma o caráter messiânico de Jesus: “Filho de Davi”. Em Mc 10.46 a 52, menciona “... o filho de Timeu, Bartimeu, que era cego, estava sentado à beira do caminho pedindo esmolas. Quando ouviu que era Jesus de Nazaré, começou a gritar: "Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!". Igualmente, Bartimeu afirmou o caráter messiânico de Jesus. Fiquemos com a narrativa sobre o Bartimeu, em Marcos.

Você conhece o ditado popular “O pior cego é aquele que não quer ver”? A cegueira impossibilita a pessoa de fazer muitas coisas importantes na vida. Jesus compara o cego espiritual ao infeliz, ao miserável, em Ap 3.17: “Pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.”.

A cegueira espiritual é símbolo da ignorância e das trevas em que o homem natural está estacionado. Cegueira é sinônimo de escuridão, invisibilidade, insensibilidade. A cegueira espiritual só Jesus Cristo pode curar: Ele afirmou “... Eu sou a Luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, pelo contrário, terá a Luz da vida.”, Jo 8.12.

As oportunidades de cura que surgem não podem ser desperdiçadas. No caso de Bartimeu, aproveitou a ÚNICA oportunidade que teve.


1. QUANDO E ONDE FOI ESTE ACONTECIMENTO?

Foi quando da última viagem de Jesus para Jerusalém. Ultima porque estava a caminho da cruz do calvário, onde seria oferecido em sacrifício para perdão dos pecados da humanidade perdida.

Para Bartimeu, que ouvira falar de Jesus Cristo, tinha informações sobre seus atos de misericórdia, de compaixão e de amor, pensou: “É hoje ou nunca!”.

Jericó era cidade que estava debaixo de maldição do passado. Tinha sido destruída por Josué e líderes do povo de Israel, por causa de seu pecado, mas ali Jesus realizou operações individuais maravilhosas: Ao entrar na cidade, salvou Zaqueu, o publicano, coletor de impostos, corrupto; ao sair da cidade, em outra oportunidade, curou o cego Bartimeu;

Jesus, desde Seu nascimento, durante Sua vida de ensino e preparação dos discípulos, na Sua morte, na Sua ressurreição, na Sua ascensão continua curando os homens da enfermidade espiritual, abrindo olhos, curando paralíticos, salvando da condenação ao inferno, dando voz ao mudo, fazendo surdos ouvirem etc.


2. COMO ESTAVAM AS PESSOAS NESTE ACONTECIMENTO?

a) JESUS estava preocupado com esta última viagem a Jerusalém: Sabia que a Cruz do calvário O aguardava: seria sacrificado, seria entregue à morte em favor da humanidade perdida, sofreria humilhação, escárnio, insultos e zombaria. A morte sacrificial de Jesus na cruz era o ato principal no Plano Eterno de Deus na salvação dos homens perdidos no pecado! A missão de Jesus na terra estava para se consumar. Ele teria muita oposição para que isto acontecesse.

b) A MULTIDÃO indiferente às necessidades do cego mandava-lhe que se calasse, v.48 – “E muitos o repreendiam para que se calasse; mas ele cada vez gritava mais: Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”. Há muitas pessoas que não “erguem uma palha” para ajudar a salvar alguém, mas tem língua afiada paras criticar e para atrapalhar as pessoas que se dispõem em socorrer aos necessitados.

c) BARTIMEU, O CEGO, quando ouviu falar que era Jesus, o Messias, imaginou: “É agora ou nunca! Jesus pode me curar!”. Percebendo a urgência do seu caso, gritou: “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”. Bartimeu tinha ouvido falar sobre Jesus, sabia do Seu poder, do Seu amor, de seus atos de compaixão e de misericórdia.

Bartimeu não “ligou” para a oposição da multidão e gritou: “Jesus, Filho de Davi, tem misericórdia de mim!”

3. NO CAMINHO DE TODA BÊNÇÃO HÁ SEMPRE EMPECILHOS, ÁS VEZES COLOCADOS POR NÓS MESMOS

“É agora ou nunca!”, pensou Bartimeu. Ele não tinha ninguém a quem pedir para que o levasse a Jesus e lhe contasse a sua história. Ninguém! Mesmo no meio da multidão que tentava abafar os gritos dele, Jesus ouviu o seu clamor, parou e disse: “Chamem-no!”. Leitor tenha a certeza que Jesus é capaz de ouvir sua oração no meio da multidão, do barulho do trânsito, no isolamento social, na quietude de sua casa, no silêncio de seu quarto, no ambiente de medo do vírus dessa pandemia! Ele está atento ao seu clamor!

Depois que Jesus ordenou para que chamasse o cego, a multidão mudou de opinião: Os que foram chama-lo aproximaram-se dele e, meio enciumados com a particular atenção de Jesus (enciumados digo eu), sem nenhuma delicadeza e ternura, asperamente disseram; “Tem bom ânimo, levanta-te; Ele te chama!”. V.50. “Lançando de si a capa, levantou-se de um salto, e foi ter com Jesus”. Capa era sua boa proteção e necessária no inverno, ou nas noites geladas da Palestina. Naquele momento, a capa era um empecilho que poderia atrapalhá-lo a se aproximar de Jesus. A capa estendida no chão recebia as esmolas que as pessoas ali lançavam. Os judeus gostavam de dar esmolas. A capa era importante para Bartimeu para recolher as esmolas enquanto estava cego.

Se quisermos ser abençoados por Deus, devemos tomar a iniciativa de nos desfazer de coisas, de peças, de amuletos, de imagens das quais nos servimos enquanto estamos cegos espiritualmente e que se tornam empecilhos para nos aproximarmos de Deus! Há coisas aparentemente lícitas em nossa vida, mas que se tornam “capas” ou empecilhos para nos aproximarmos de Jesus Cristo. Podem ser:

a) Os vícios – Alegam “Não tem importância”; “A hora que eu quiser, eu largo!”;

b) A religiosidade – faz da religião uma “caixinha” herdada dos pais, que nunca abriu para saber o que tem dentro;

c) A tradição de família – Minha avó era dessa religião, meus pais são dessa religião e eu também sou; é tradição da família!

d) A cultura - Para muitos de elevada cultura, ter fé em Jesus é coisa para gente simples, para pobres e ignorantes!

e) A própria família – “Não vai me dizer que agora você é crente!”;

f) O bom emprego – “Cheguei até aqui por meus próprios méritos...” e não reconhecem a bênção da capacitação dada por Deus;

g) A posição social – Opinião de muitos orgulhosos e soberbos: Ter fé em Jesus é coisa para gente pobre!”;

h) O dinheiro – O dinheiro pode acabar em negócio mal feito, ou numa crise no País. Ouvi uma expressão: “A urna funerária não tem gaveta para levar o dinheiro...”

i) Compromissos sociais – Não tenho tempo para religião ou cultivar a fé; sou muito ocupado...; etc.


4. O “HUMOR” DE JESUS É COMOVENTE: A PERGUNTA ÓBVIA

v.51 - “perguntou-lhe Jesus: Que queres que eu te faça?”. Resposta aparentemente óbvia: “Mestre, eu quero ver!”. Por que será que Jesus lhe perguntou assim? Jesus queria saber se Bartimeu priorizava sua necessidade de visão, o que lhe seria mais importante e mais precioso em sua vida. Há muitos que estão indo para o inferno porque só querem a cura física, os bens materiais, o conforto, o bom emprego, as futilidades e se esquecem do principal, onde passará a eternidade! Jesus tem o que nos é o mais precioso: a nossa SALVAÇÃO! Salvação da condenação eterna ao inferno! A vida eterna com Deus!


5. BARTIMEU DEU EXEMPLO DE GRATIDÃO E FIDELIDADE A JESUS

v.52 - Depois de curado por Jesus, Bartimeu tomou a atitude correta: “..., e seguia a Jesus estrada fora.”. Você consegue imaginar a conversa de Bartimeu com pessoas da multidão que estavam caminhando com Jesus? Cada um compartilhando seu testemunho com o outro sobre sua cura... Bartimeu poderia ter ido para sua casa para celebrar sua cura com a família, divertir-se, trabalhar, ganhar dinheiro etc.: tudo isso lhe era legítimo. Deixou a mendicância e a cegueira para seguir e servir a Jesus!


Concluindo, leitores, Jesus está passando pela Vila Yara, Osasco, São Paulo, pela Internet onde você está: Qual é o seu clamor a Jesus? Qual tem sido a sua atitude? Você, que já foi curado do poder do pecado, está salvo da condenação eterna, qual foi seu primeiro passo depois da cura ou salvação?

Seguir e servir a Jesus ou aproveitar a vida para si mesmo porque foi curado?

Seguir e servir a Jesus são as atitudes mais importantes na vida de uma pessoa, seja homem ou mulher, idoso ou jovem, adolescente ou criança!

Jesus quer abrir os seus olhos espirituais para a realidade da vida! Vida sem Jesus é perdição! Vida com Jesus é Salvação!

Que Deus assim nos abençoe.

Pr. Ageo Silva

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page