top of page
  • IEVY

SENHOR DEUS, SALVE O BRASIL!

Antes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador... Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem discussões.” (1 Timóteo 2.1 a 3 e 8).


Esta PASTORAL tem o propósito de convocar a Igreja para ORAR INTENSAMENTE pelo Brasil, que está vivendo momentos delicadíssimos politica, democrática e constitucionalmente.

São vários os fatores que nos levam a nos dedicar mais à oração pelo Brasil:

1. A Pandemia está aí e com sinais de agravamento por causa do novo tipo de vírus, o Delta. Não podemos descuidar na nossa saúde. Tomemos todo cuidado de higiene pessoal sem os exageros comportamentais;

2. Para nossa tristeza e alvo de preocupações, está acontecendo conflitos entre os poderes conAntes de tudo, recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade. Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador... Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando mãos santas, sem ira e sem discussões.” (1 Timóteo 2.1 a 3 e 8).


Esta PASTORAL tem o propósito de convocar a Igreja para ORAR INTENSAMENTE pelo Brasil, que está vivendo momentos delicadíssimos politica, democrática e constitucionalmente.

São vários os fatores que nos levam a nos dedicar mais à oração pelo Brasil:

1. A Pandemia está aí e com sinais de agravamento por causa do novo tipo de vírus, o Delta. Não podemos descuidar na nossa saúde. Tomemos todo cuidado de higiene pessoal sem os exageros comportamentais;

2. Para nossa tristeza e alvo de preocupações, está acontecendo conflitos entre os poderes constituídos da Nação: O Poder Judiciário, representado pelo STF, atacando o Poder Executivo na pessoa do Presidente da República; este, por sua vez, ataca o STF; o Poder Legislativo – Senado e Câmara de Deputados – está omisso a toda essa situação conflitante que está acontecendo; o Senado apenas mantem a CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito que está teatralizando a questão da administração da situação da COVID no Brasil;

3. Há o risco iminente de o conflito entre os poderes aumentar a tensão e provocar a sociedade civil para se manifestar;

4. Há o aumento do desemprego: agora são cerca de 15 milhões de brasileiros em idade produtiva que estão desempregados ou em subempregos;

5. As Reformas constitucionais estão travadas no Congresso;

6. A fome está aumentando nas grandes cidades, com famílias inteiras esmolando nas ruas.


Diante desse quadro perigoso e delicado no Brasil, como Igreja, não podemos ficar omissos e assistir da arquibancada ao conflito real existente e a situação periclitante e miserável em que o País está mergulhado.

Você poderá me perguntar: Pastor, podemos participar das manifestações públicas e democráticas como passeatas? Respondo que cada um deve avaliar e tomar sua decisão pessoal com responsabilidade; e que essas manifestações sejam PACÍFICAS e DEMOCRÁTICAS!

Você poderá me perguntar ainda: o que podemos fazer? Eu respondo: não apenas PODEMOS, mas DEVEMOS fazer. A mais poderosa arma que temos contra essa desordem institucionalizada é a ORAÇÃO, as SÚPLICAS, o CLAMOR, os ROGOS, a INTERCESSÃO diante de Deus. Deus está no controle da situação; nós é que estamos OMISSOS diante do Todo-Poderoso em interceder pela situação no Brasil.

No texto base desta Pastoral, no início do v.1, há a expressão: “Antes de tudo”. Que Palavra sábia, inspirada por Deus ao apóstolo Paulo! “Antes de tudo”, antes de criticar, antes de falar mal, antes de repassar “fake news”, antes de participar de manifestações públicas mesmo democráticas, a Palavra de Deus diz “recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.”.

A recomendação da Palavra, que tem força de ordem, é para que oremos, supliquemos, levantemos um clamor, roguemos, intercedamos diante de Deus “por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.”, que exercem autoridade em todos os poderes constituídos e em todos os níveis.

Por que orar, suplicar, levantar clamores, rogar, interceder diante de Deus? Porque “Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador”, ou seja, Deus se agrada de nossa atitude e de nossa posição diante dessa situação. Se quisermos ter vida tranquila, pacífica (ter paz) com toda e piedade e dignidade, ANTES DE TUDO supliquemos, oremos, intercedamos, agradeçamos por todos os que exercem autoridade. Isto é o nosso dever como Igreja.

Irmãos, oremos não apenas quando estamos reunidos como Igreja, mas nos nossos momentos de orações individuais:

1º) Pela PAZ SOCIAL, ou seja, entre todos os brasileiros;

2º) Pela HARMONIA ENTRE OS PODERES DA NAÇÃO: que cessem todos os ataques e ofensas de parte a parte, e que haja um ALVO COMUM de servir ao Brasil com amor, dedicação e dignidade;

3º) Pela retomada do desenvolvimento do Brasil, pela criação de empregos, pelo suprimento daqueles que estão mais necessitados e passando fome e privações.

Que Deus nos abençoe individualmente, nossas famílias, a Igreja e o Brasil.

Pr. Ageo Silvastituídos da Nação: O Poder Judiciário, representado pelo STF, atacando o Poder Executivo na pessoa do Presidente da República; este, por sua vez, ataca o STF; o Poder Legislativo – Senado e Câmara de Deputados – está omisso a toda essa situação conflitante que está acontecendo; o Senado apenas mantem a CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito que está teatralizando a questão da administração da situação da COVID no Brasil;

3. Há o risco iminente de o conflito entre os poderes aumentar a tensão e provocar a sociedade civil para se manifestar;

4. Há o aumento do desemprego: agora são cerca de 15 milhões de brasileiros em idade produtiva que estão desempregados ou em subempregos;

5. As Reformas constitucionais estão travadas no Congresso;

6. A fome está aumentando nas grandes cidades, com famílias inteiras esmolando nas ruas.


Diante desse quadro perigoso e delicado no Brasil, como Igreja, não podemos ficar omissos e assistir da arquibancada ao conflito real existente e a situação periclitante e miserável em que o País está mergulhado.

Você poderá me perguntar: Pastor, podemos participar das manifestações públicas e democráticas como passeatas? Respondo que cada um deve avaliar e tomar sua decisão pessoal com responsabilidade; e que essas manifestações sejam PACÍFICAS e DEMOCRÁTICAS!

Você poderá me perguntar ainda: o que podemos fazer? Eu respondo: não apenas PODEMOS, mas DEVEMOS fazer. A mais poderosa arma que temos contra essa desordem institucionalizada é a ORAÇÃO, as SÚPLICAS, o CLAMOR, os ROGOS, a INTERCESSÃO diante de Deus. Deus está no controle da situação; nós é que estamos OMISSOS diante do Todo-Poderoso em interceder pela situação no Brasil.

No texto base desta Pastoral, no início do v.1, há a expressão: “Antes de tudo”. Que Palavra sábia, inspirada por Deus ao apóstolo Paulo! “Antes de tudo”, antes de criticar, antes de falar mal, antes de repassar “fake news”, antes de participar de manifestações públicas mesmo democráticas, a Palavra de Deus diz “recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.”.

A recomendação da Palavra, que tem força de ordem, é para que oremos, supliquemos, levantemos um clamor, roguemos, intercedamos diante de Deus “por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica, com toda a piedade e dignidade.”, que exercem autoridade em todos os poderes constituídos e em todos os níveis.

Por que orar, suplicar, levantar clamores, rogar, interceder diante de Deus? Porque “Isso é bom e agradável perante Deus, nosso Salvador”, ou seja, Deus se agrada de nossa atitude e de nossa posição diante dessa situação. Se quisermos ter vida tranquila, pacífica (ter paz) com toda e piedade e dignidade, ANTES DE TUDO supliquemos, oremos, intercedamos, agradeçamos por todos os que exercem autoridade. Isto é o nosso dever como Igreja.

Irmãos, oremos não apenas quando estamos reunidos como Igreja, mas nos nossos momentos de orações individuais:

1º) Pela PAZ SOCIAL, ou seja, entre todos os brasileiros;

2º) Pela HARMONIA ENTRE OS PODERES DA NAÇÃO: que cessem todos os ataques e ofensas de parte a parte, e que haja um ALVO COMUM de servir ao Brasil com amor, dedicação e dignidade;

3º) Pela retomada do desenvolvimento do Brasil, pela criação de empregos, pelo suprimento daqueles que estão mais necessitados e passando fome e privações.

Que Deus nos abençoe individualmente, nossas famílias, a Igreja e o Brasil.


Pr. Ageo Silva

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page